Andilii's Blog
Just another WordPress.com weblog

nov
26

http://aandie.blogspot.com é isso ai.

nov
25

Voltando da aula agora, parei no terminal e fiquei uns 5min esperando o ônibus. Do outro lado, tinha dois amigos… A menina até que disfarçava bem, mas o menino não escondia mesmo. A menina no começo fazia de conta que nem queria e ficava indo pro lado; cada passo que dava, o menino dava outro junto. Depois, ela nem deu bola mais e deixou seus braços encostarem. Com o espaço todo que havia e o maior calor, eles ficavam grudadinhos, um ao lado do outro, fingindo que nada estava acontecendo, enquanto esperavam seu ônibus.

Já no ônibus, passei pela praça que tem alguns banquinhos e uma floricultura. No banquinho, tinha uma menina olhando pra floricultura com a maior cara de boba e na floricultura, estava saindo seu namorado com o maior buquê de flores coloridas do mundo.

 

Não sei… só me deu vontade de contar. Acordei meio apaixonada hoje. Uma pena ninguém acordar apaixonado por mim. Dizem que não sou apaixonante, sabe?

Paixão? Música, filmes, colorido, lugares novos, pessoas de almas, sorrisos sinceros, atitudes que valem mais que palavras, comida, fotografia, cheiro das árvores nessa época do ano, meus irmãos, meus avós.

Amor? Outra história.

nov
25

Um presente de natal? Meu namorado de volta. Esse seria um bom presente!

nov
19

Se fosse perto e eu tivesse dinheiro, ia amanhã pra Santos, só pra passar a tarde ao lado dele. Juro que ia.

Mais uma noite sem dormir, acho que já respondi minha pergunta. Não queria amar tanto, não.

nov
19

Quero bloquear meu bloooooog! Que droga, só quem tem wordpress vai poder ve-lo, ai nem rola, né? Se quem faz comentários tão legais aqui, não tem seus blogs nele. Hunf.

Enfim… aaaai, eu http://lush-pepper.org/ #) que legal, viu? Adorei! Engraçado como a gente conhece as pessoas assim na internet; parece que elas conhecem muito mais da gente do que quem tá perto. LPzinho, nunca tive uma conversa com ele, ele apenas le meu blog e meu twitter. Me assusta um pouco, na real, o tanto que ele sabe de mim já! hahaha Mas é um amigo queridão e que eu adoro um monte! Principalmente pelos comentários que ele deixa aqui… me fazem bem demais. Obrigada, amigo baixinho, pela honra de sair de capa de seu blog que eu acho liiiiiiiiiiiiiiiiiiiindo! Cada dia uma surpresa e hoje fui eu 😀 haha

Tô melhor hoje? Não sei, nem quero parar pra pensar. Passo essa pergunta.

nov
18

Levou nas costas… levou. Acha que o mundo gira em torno de vc? Não é porque as coisas não estão saindo do jeito que vc esperava que saísse, que vc precisa fazer de conta que ninguém mais tem sentimentos. Machucou ele… gostou? Não, né? É assim mesmo. Quando a gente age de forma errada, vem o resultado depois. Egoísmo seu! Puro egoísmo. Não basta sentir e guardar pra si. Quando envolve outra pessoa, a gente tem que demonstrar também. Já se imaginou no lugar dele? Você, levando ele sair, dar risada, se divertir e ele com uma cara horrível e querendo dormir? Mesmo que ele não sentisse isso, mesmo ele adorando, se ele não falar, vc não vai saber e vai parecer o contrário; vai parecer exatamente o que mostra ser.

As coisas vão mudar, vão sim. Vão se acalmar e tudo vai voltar a ser como era antes. Desculpa por ter te magoado. Já disse que ninguém me faz mais bem do que vc? E mesmo eu estando com cara horrível, os rolês com vc vem sendo o que eu mais quero, sinto falta e gosto? Caiçara, vc é diferente demais de mim e não é a toa que me apaixonei tanto. Caiçara, caiçara… é com vc que tem que ser!

nov
17

Era uma vez uma menina solitária e um menino de coração machucado. Ela vivia em um mundo de borboletas coloridas gigantes e ele, de estrelas florescentes. Um dia se conheceram através de uma das borboletas – a qual enviava mensagens pelas flores – e passaram a se encontrar todo dia atrás de uma árvore, mas o que os impedia de se aproximar, era uma cerca que passava de ponta a ponta de seus mundos. Passou-se muito tempo, muitas coisas aconteceram e a amizade foi só crescendo. De repente, a menina achou que podia enganar seu pequeno coração e eles passaram a não se falar mais. A cerca começou a ficar sem cor, velha; certo dia o menino jogou uma pedrinha na casa da menina e eles voltaram a se falar. Resolveram que deveriam procurar alguma saída naquela cerca. Foram caminhando e logo acharam uma enorme estradinha de pedrinhas brancas; logo à frente, se depararam com um mundinho misturado com borboletas e estrelas, ao qual deram o nome de Babilônia. O menino e a menina passaram a ser um só. Amavam e cuidavam um ao outro. Um dia no mundinho, o menino deu uma pedrinha branca para a menina e falou: “eu nunca termino namoros”, a menina então sorriu e lhe disse: “aposto que o nosso, vai ser você que vai terminar!” e o menino olhou bem nos olhos dela e com um beijo na testa disse: “nunca.” Fizeram uma chave para entrar na Babilônia, ela ficava pendurada no pé direito de cada um e por conta de uma magia, não poderia mais ser retirada… Nunca mais. Muitas vezes, aconteciam imprevistos e eles ficavam um bom tempo sem se ver naquele mundinho, só se falavam pela cerca. Mas a cerca tinha algo que fazia eles se estranharem; um cheiro diferente, um sabor diferente, uma cor diferente. Aos poucos, foram se afastando, por conta da dor que a cerca causava em seus corações. A Babilônia acabou ficando mal cuidada, pela falta de batimentos do coração e suas borboletas foram morrendo e suas estrelas foram apagando. A menina ficava dias sentada em seu banquinho esperando ouvir que o menino a amava, mas só ficava em pensamento. Ele também parou de chamá-la de linda, coisa que não passava um dia sem fazer. Então, o menino falou: “devemos fechar a Babilônia de uma vez, para que ela pare de sofrer” a menina passou a sentir seus batimentos ficarem baixinhos demais para serem ouvidos, suas mãos começaram a tremer e a suar e ela então não pode mais colher suas amoras-pitangas, apenas soltar enormes lágrimas machucadas. Em uma manhã chuvosa, a menina resolveu ir até o mundinho sozinha, lá ela arrancou fora seu coração e o colocou dentro de uma enorme árvore, para sempre ele ser do menino. Em volta da árvore a menina colocou todas as pedrinhas brancas já ganhadas por ele e escreveu com lágrimas: “carrego seu coração comigo, carrego dentro do meu coração.” Eles ainda se encontram na cerca dolorida e sem cor, às vezes, sem vontade nenhuma, pois os dois se estranham tanto que parecem ser outra pessoa da qual são na Babilônia. Toda noite dá pra se ouvir uma canção de ninar, que a menina canta para o menino enquanto ele dorme em seu mundo de estrelas… “So rest your head – you’re all mine. And I stay awake, I won’t go home. Let’s go on a Holiday. To burn this town – he’s my Babylon. So rest your heart – you’re all mine. Because if you walk away, I fall on down. And bleed, red as blood – Red as when – he’s my Babylon. No I don’t want to see you go. No I don’t want to be alone. So rest your hand – you’re all mine. I can’t stay awake, my eyes fall down. Said I dreamed a dream that you walk ‘round – he’s my Babylon. No I don’t want to see you go. No I don’t want to be alone” A menina já não consegue dormir, nem respirar. Fica sentada dia e noite em seu banquinho à espera que o menino venha e pegue seu coração para guardar em uma caixinha e dele pra sempre cuidar. Ele é sua Babilônia.

nov
16

Passei o final de semana com minha família. Tão bom, tão feliz, tão mágico. Quando eu crescer, quero ter uma família igual! Só faltou minha mãe, meu irmão e meu avô, pequena coisa… Nunca vou agradecer o suficiente pelo tio/pai e pela madrinha/mãe que tenho! Hoje eles todos foram embora. Dei 3 abraços na minha vó antes de conseguir deixa-la ir. No ultimo, minha vontade foi tão grande de chorar e pedir pra ela ficar, mas engoli seco e apertei os olhos pra não mostrar… sei que ela sentiu. Enfim, Isabela Helena, coisinha mais pequena, bem vinda ao mundo e a essa família maravilhosa! x)

Pena que descobri que minha anemia voltou. Mas que droga! Passei mal o final de semana todo, tonturas demais! Lá vou eu passar por tudo de novo… suco de beterraba – dor de estômago – suco de beterraba – desânimo – suco de beterraba – sono – suco de beterraba – tontura – suco de beterraba. Mais um tratamento pra doença que me botou no chão em 2007. Talvez – por mais que minha vó e minha madrinha tenham certeza da tal anemia – é só meu corpo respondendo aos meus sentimentos. Isso sempre acontece. Se eu fico triste/nervosa/ansiosa, acabo ficando doente. Não sei, terei que fazer exame de sangue que tanto odeio :~

3 dias sem nos falar direito. Eu odeio, de verdade. Mas como existem pessoas sentimentais demais, existem também as orgulhosas. Coisa que eu também sei ser e realmente não queira que eu seja. Sinto falta de como era antes; meu te amo, fica em pensamento.

Não sei o que mais dói, se é meu peito ou o meu estômago.

nov
12

Toda noite, eu ando chorando até pegar no sono. Acho que pela primeira vez tô sabendo realmente o que é sentir saudade. Eu já tava acostumada a ficar longe dos meu pais e hoje faz um mês que não vejo eles, mas tá doendo demais. Vai rasgando, trazendo uma tristeza enorme. Chega em passos lentos, vai subindo pelos pés de vagar e quando chega ao coração, explode tão rápido e com uma força tão grande, que o ar foge e as mãos viram punhos – unhas cravadas. Dor.

Me sinto sozinha demais aqui. Fiz amigas na faculdade, mas elas fizeram amizades entre elas e eu fico no vão dessas amizades. Queria gritar, queria fugir, queria chorar toda minha dor pra fora, como se fosse shampoo saindo do frasco, até seu fim.

Ainda tenho uma pessoa que me segura como se fosse o ar que passa pelos meus pulmões. Mas ele não sabe quanta importância tem pra mim. Enfim; confesso que junto com todas as minhas lágrimas de solidão, caem juntas as lágrimas doloridas de um dia ter ouvido um “não te amo”. Foi da boca pra fora? Eu juro que não sei. As vezes, sei bem que foi; as vezes, a dúvida me corta como uma faca afiada. Queria te-lo por perto e saber que é meu de verdade, por inteiro. Solidão vem sendo minha melhor amiga, inclusive em dias como estes, que por algum motivo desconhecido, nem ele ficou do meu lado, mesmo longe. Palavras saíam como lâminas e iam machucando; ásperas. O que foi que eu fiz? Muitas vezes quando acordo no quarto dele, sentindo sua respiração em mim, me pergunto o quão aquilo é real. Amor ou apenas calma? Me odeio por pensar assim, mas parece que perde-lo é tão fácil quanto jogar uma pedra no rio e ver saltinhos (não aprendi fazer isso até hoje, então, entenda como quiser).

Preciso de alguém que consiga tirar essa solidão de mim. Preciso de alguém com quem eu possa chorar, sem medos e ouvir que tudo vai ficar bem, que tudo está bem. Queria não precisar voltar pra casa sem ele e não ficar nos estranhando como se não nos conhecessemos, até me acalmar e em seus braços dormir novamente. Preciso demais de você pra sempre na minha vida.

Por que tem que doer tanto assim?

Tudo dói. Quero começar as coisas, sem precisar ter medo do fim. Queria que alguém realmente se importasse, percebesse que eu não estou bem e conversasse comigo até eu conseguir por tudo pra fora, inclusive lágrimas doloridas. Mas quem se importa?

Doce solidão, foge que eu te encontro….

nov
10

É o seguinte andie: você não tá sendo uma boa amiga, uma boa filha e uma boa namorada. O mundo não é só você e as outras pessoas também tem sentimentos. Não que você precise ser falsa, mas demonstrar um pouquinho só que seja de interesse pelas coisas, ajudaria muito.  Você é fria e muitas vezes sem coração. As pessoas merecem mais de você; não merecem levar patadas ou tua falta de interesse por tudo o que tentam te falar/fazer/mostrar. O que você acha que suas amigas sentem quando vão te contar algo e você realmente não dá a mínima?  Lê por cima o que elas falam, muda de assunto ou talvez nem responde? O que você acha que seu namorado sente por você ir ver ele, ele fazer de tudo pra você se sentir bem e você ficar com uma cara de “tôodiandoabalada”? VOCÊ É FRIA. Quantas vezes já ouviu isso dele e da sua própria mãe? As pessoas vão ter que te tratar assim pra você parar de trata-las desse jeito? Eu sei que você tá se sentindo mal por isso. Se não tá adiantando ouvir das pessoas, escute de você mesma.